terça-feira, 5 de julho de 2016

Monument Valley - Utah/EUA




Ainda era cedo, mas a escuridão já tomava conta das estradas da cidade de Kayenta. Dentro do carro estava quentinho, mas o termômetro já denunciava o frio cortante do lado de fora. Como relatado no post de Arches National Park,  estávamos com medo de pegar a estrada a noite. Na verdade estávamos com medo de pegar neve na estrada a noite. Ainda eram 18:30 e já não era mais possível conseguir ver mais que alguns metros da estrada a nossa frente...  Confiávamos totalmente em nosso GPS do celular,  utilizando o modo off line. Ali, marcava poucos km de nosso hotel,  mas quando olhávamos pra frente, nada se via, nem uma lâmpada acesa, nem um sinal de que havia mais do que deserto por ali. Confesso que isso causava uma certa agonia, mas era preciso manter o foco. Mais 2 km, e começamos a ver lá no fundo,  perdido no meio do nada algumas luzinhas, e então dentro de poucos minutos,  começamos a avistar o movimento de nosso hotel,  que ficava dentro da reserva indígena dos Navajos. Após muito pesquisar, decidimos investir um pouco mais e passar a noite no famoso Hotel The View. Era maravilhoso!  Quarto espaçoso,  cama enorme (aliás, 2 camas!),  limpinho, staff super cordial,  com direito a cafeteira no quarto! Mas o que eu mais esperava mesmo,  era ver a linda vista que o hotel oferecia! Fizemos check-in,  joguei minhas coisas no quarto,  corri pra sacada pra ver as montanhas que tanto sonhei e o que eu vejo??????  Nada! Nada além de um lindo céu estrelado e o negrume da noite! Você pode pensar que eu fiquei frustrada,  mas meu coração sabia que elas estavam lá,  e era como se eu realmente pudesse vê-las! Fomos jantar no restaurante do hotel. Pra dizer a verdade,  não sei se foi nossa escolha,  mas nem o meu prato nem o do Rolands estavam bons. Eu pedi búfalo wings, e algumas estavam meio cruas demais pro meu gosto,  mas as que estavam cozidas tinha um gosto bom! O Rolands optou pela sopa, por causa do frio, mas não gostou. Outra coisa interessante, é que na reserva indígena não é permitido o comércio de bebidas alcoólicas, então o vinho e a cerveja que eles tem é sem álcool, mas é ruim demais, e não é só pelo fato de não ter álcool, o gosto é ruim mesmo!rs Então fica a dica: tome suco ou água...rs. Ficamos ali no hall no hotel alguns minutos pra poder usar a internet (falar com a família, postar fotos, etc), pois nos quartos não tem wi-fi. 
Pilastra no hall do hotel
 O sol ainda nem havia pensado em nascer, e eu já pulei da cama na maior empolgação, pois queria fotografar o sol nascendo atrás das lindas montanhas de Monument Valley! Levantei, fiz um café no nosso quarto, preparei meu equipamento fotográfico, coloquei uma blusa quentinha e fui pra varanda. Ainda estava escuro. O chão estava muito gelado e mesmo com meias, sentia meus pés queimar no chão. Posicionei minha câmera, meu celular e com meu café quentinho em mãos, me sentei na varanda e esperei. Então, como num passe de mágica o sol começava a se revelar e já era possível ver as montanhas. 

É muito difícil descrever com poucas palavras a sensação que tive nesse momento. É como se o corpo todo gritasse em agradecimento por estar vivendo essa experiência. É de uma emoção sem igual. Fiquei ali, registrei tudo, conforme vocês podem conferir, e então me permiti apenas curtir aquela obra divina. Quando o dia já estava claro, o Rolands apareceu na sacada e ficamos ali uns minutinhos. 



E eu nunca me cansava de olhar pra essa linda paisagem


Aproveitei e fiz um vídeo tb!!!



Hora de tomar café da manhã! Ao contrário do jantar “cilada” (rs), o café da manhã foi maravilhoso! Os garçons como sempre muito educados. Pagamos 16 dólares, com tudo que tinha no buffet a vontade, sucos, bolos, pães, frutas e você ainda podia pedir linguiça, ovos mexidos ou bacon, que eles traziam quentinho na mesa! Valeu muito a pena, visto que era o dia do nosso passeio a cavalo, e sabíamos que voltaríamos tarde. Já deixamos nossas malas prontas pra partir assim que voltássemos. O nosso passeio a cavalo foi reservado e pago ainda no Brasil. Escolhemos a empresa Black's Hiking, Jeep Tours and Trail Rides para nos acompanhar nessa aventura. Eles tem passeios privados, mas o custo é muito alto, então escolhi um passeio no qual eu seria inserida num grupo de no máximo 8 pessoas, duração de 2horas e meia, no valor de 100 dólares. Digamos que no frio, não tem muita gente disposta a cavalgar, então o passeio virou privativo (UHUUU!!!). Jedan, nosso guia, um nativo, selou os cavalos, e nos perguntou sobre nossa experiência em cavalgadas. Como a gente já “manjava” do assunto e era só a gente, fizemos um trajeto um pouco mais amplo. Quando montei o cavalo e me vi cavalgando pelas terras de John Way, algo muito estranho aconteceu comigo. Um sentimento de felicidade me invadiu por completo e a partir desse momento eu não consegui mais tirar o sorriso do rosto! Foi maravilhoso 25 vezes!!! Aproveitei a simpatia de nosso guia e perguntei pra ele sobre sua cultura, a língua, os costumes, comida, enfim terminei o passeio quase uma "navajo", com direito a galope e grito de guerra no final!

Eu, o carro congelado e Mr Bill, the Bull (lembrança de Fort Worth)




Tipo John Wayne








Esse é o melhor angulo de todos os passeios: entre as orelhas de um cavalo






 


  

Devolta ao hotel, check out realizado, aproveitei os últimos minutos pra tirar as últimas fotos, enquanto meus olhos se orvalhavam, e eu deixava aquele lindo lugar, onde vivi momentos tão intensamente felizes e gratificantes, já pensando em voltar!  





Próxima parada: Zion Nationa Park!

Se precisar de alguma dica, hotel ou até pitaco, é só deixar nos comentários!

Ah, e se precisar de hotel, faça a busca através de nossos links por hotéis em Kayenta e nos ajude a manter o blog cheio de novidades!!! Bjos a todos!!!

domingo, 26 de junho de 2016

Campos do Jordão / SP - Brasil





Depois de muito postergar, finalmente chegou o momento de ir passar um final de semana inteirinho em Campos do Jordão! Eu sempre fui visitante assídua de sua vizinha São Bento do Sapucaí, onde eu visito a Pedra do Baú, mas dessa vez nosso destino seria Campos!

Pesquisamos bastante antes de fechar, porque como alguns de vocês sabem, Campos não é nem um pouco econômica, então eu tinha que achar um lugar bacana, mas que estivesse dentro do nosso orçamento!  Tem para todos os gostos e bolsos... Vou deixar algumas opções do que vi por lá e achei muito interessante....

Hotel Leão da Montanha  - Lindo, pomposo, mas não é low cost...rs

Hotel Estoril - Fica bem no meio do Capivari, quase de frente com a Baden Baden

Hotel Chateau - Luxo aqui é apelido!!! Lindo, com uma diária de aproximadamente R$ 600,00.

Chegamos lá por volta de 23h da sexta-feira, e já tava bem "fresquinho".... 


Atravessamos a cidade e fomos até o nosso hotel. Reservamos a Pousada Villa di Roma. No primeiro momento, não ficamos muito impressionado, até porque, apesar de realmente ficar há apenas 800m do badalado Capivari, ficava numa rua meio escura, um pouco deserta... Fizemos check in, colocamos uma roupa mais quentinha e fomos andando até o point de Campos, curtir um pouco o restinho que ainda tinha da sexta-feira! Parada obrigatória na cervejaria da Baden Baden! Tem um climinha bem gostoso, gente bonita, bem arrumada (aliás, em Campos, todos andam muito chiques!), e uma cerveja que dispensa legendas! Em algumas horas fomos vencidos pelo frio... E resolvemos voltar para o hotel. Antes de entrar, meu esposo Rolands, resolveu "esquentar os pés" no ar quente do carro (porque no hotel não tem calefação, nem lareira no quarto).. Foi quando o senhor Maurílio, apareceu e disse, pq não sentam em  frente a lareira??? Meus Deus, eu haviia até esquecido que não tinha lareira no quarto, mas havia uma lareira em cada comodo de área comum da pousada!! Aí, sim.... pés quentinhos, pedimos um vinho e ficamos horas ali conversando e praticamente "entrevistando o sr. Maurílio, que depois, gentilmente trouxe um aquecedor portátil, aliviando a madrugada fria...

                                                                       Capivari

                                                                          Baden Baden




E pra finalizar a noite: Vinho, lareira e boa prosa...

Como fomos dormir bem tarde, e não tínhamos nada programado com horários, acordamos tarde no sábado.... Nos fartamos no café da manhã da pousada, e depois fomos passear... Escolhemos os Jardins Amantikir para conhecer, pois era muito bem avaliado! A entrada custou R$30,00 (estudante paga meia!). Não nos arrependemos... os Jardins são lindos! Tem vários jardins, de vários estilos, labirintos, araucárias (tenho uma paixão infinita por araucárias!!!) Uma boa visita, com calma e muitas fotos durou aproximadamente 2horas e meia. Há quem faça em mais, há quem faça em menos, vai do gosto mesmo. Uma caminhadinha de +/- 1,5Km, com inúmeros cenários  lindos e com direito a brincar no labirinto. Vejam as paisagens....




















O Labirinto







As lindas Araucárias!





 

No sábado, depois de passear e comer muito chocolate, saímos pra jantar. Eu estava doida pra comer truta com pinhão! O pinhão é algo bem típico de lugar frio, e não poderia faltar! Escolhemos o restaurante Tutti Buoni, pois lá havia uma truta premiada... O ambiente era agradável, música calma e um climinha bem gostoso. Escolhemos um bom vinho pra acompanhar e optamos pela truta ao molho pesto com pinhão na pedra! Servia 2 pessoas, mas tinha que ser 2 pessoas com muuuita fome! Era bem servida, e o principal DELICIOSA!!! Nosso garçom, o Danilo era uma simpatia de gente e super atencioso, a chef, Barbara Cardin, uma moça super novinha, mas que já faz pratos impressionantes! Passei a admirá-la ainda mais quando ela veio até a nossa mesa! Além de ótima chef, é uma pessoa muito educada e preocupada com o bem estar do clientes!

Nós e a chef Barbara Cardin



Truta ao molho pesto com pinhão


Pra não perder o costume, mais uma voltinha no centrinho, alguns chocolates e frio a beça... tipo: Campos do Jordão sendo Campos do Jordão!! A gente se divertia com a baixa temperatura nos relógios. Não deixe (em hipótese alguma) de experimentar a cerveja de pinhão, da cervejaria de Campos, e aproveita, pq só vende lá! Certamente lá em frente estará o Jefferson, esbanjando simpatia, e convidando pra experimentar um chocolate! Ah, fica a dica: o com laranja é sensacional!






O domingo chegou trazendo uma linda manhã e trazendo tb o dia de ir embora :( ... Aproveitamos nosso último dia daquele café da manhã maravilhoso, e fomos dar uma última voltinha no centrinho. Pode parecer mesmice, mas a cada hora que íamos lá, era diferente, gente diferente, mas com o mesmo clima aconchegante!

Café da manhã top da nossa pousada



Nossa Vizinhança



Hotel Visa Holandesa





O útimo chocolate quente, pra fechar com chave de ouro


See you soon!
Claro que tem muito mais coisas pra fazer naquela região, e eu coloquei aqui o que realmente fizemos num final de semana que tiramos só pra curtir um programa romântico! Confesso que vim embora com um gostinho de quero mais!!

Agora quero deixar aqui dois vídeos... O primeiro mostrando a coisa mais incrível e necessária na época de pinhão.... um descascador de pinhão!!! Eu amei essa novidade, e a idéia de que não vou mais machucar minha mão descascando pinhão me deixa muito feliz! Sorriso de orelha a orelha com essa "lembrancinha" de Campos!!!


E quero deixar também esse vídeo, de um pedacinho da estrada entre Campos e Santo Antonio do Pinhal! Olha se não é uma delicinha essa estrada!!!! 



E você já foi pra lá? Tá indo? Se precisar de alguma informação estarei aqui, é só escrever!

Leia também: