terça-feira, 5 de julho de 2016

Monument Valley - Utah/EUA




Ainda era cedo, mas a escuridão já tomava conta das estradas da cidade de Kayenta. Dentro do carro estava quentinho, mas o termômetro já denunciava o frio cortante do lado de fora. Como relatado no post de Arches National Park,  estávamos com medo de pegar a estrada a noite. Na verdade estávamos com medo de pegar neve na estrada a noite. Ainda eram 18:30 e já não era mais possível conseguir ver mais que alguns metros da estrada a nossa frente...  Confiávamos totalmente em nosso GPS do celular,  utilizando o modo off line. Ali, marcava poucos km de nosso hotel,  mas quando olhávamos pra frente, nada se via, nem uma lâmpada acesa, nem um sinal de que havia mais do que deserto por ali. Confesso que isso causava uma certa agonia, mas era preciso manter o foco. Mais 2 km, e começamos a ver lá no fundo,  perdido no meio do nada algumas luzinhas, e então dentro de poucos minutos,  começamos a avistar o movimento de nosso hotel,  que ficava dentro da reserva indígena dos Navajos. Após muito pesquisar, decidimos investir um pouco mais e passar a noite no famoso Hotel The View. Era maravilhoso!  Quarto espaçoso,  cama enorme (aliás, 2 camas!),  limpinho, staff super cordial,  com direito a cafeteira no quarto! Mas o que eu mais esperava mesmo,  era ver a linda vista que o hotel oferecia! Fizemos check-in,  joguei minhas coisas no quarto,  corri pra sacada pra ver as montanhas que tanto sonhei e o que eu vejo??????  Nada! Nada além de um lindo céu estrelado e o negrume da noite! Você pode pensar que eu fiquei frustrada,  mas meu coração sabia que elas estavam lá,  e era como se eu realmente pudesse vê-las! Fomos jantar no restaurante do hotel. Pra dizer a verdade,  não sei se foi nossa escolha,  mas nem o meu prato nem o do Rolands estavam bons. Eu pedi búfalo wings, e algumas estavam meio cruas demais pro meu gosto,  mas as que estavam cozidas tinha um gosto bom! O Rolands optou pela sopa, por causa do frio, mas não gostou. Outra coisa interessante, é que na reserva indígena não é permitido o comércio de bebidas alcoólicas, então o vinho e a cerveja que eles tem é sem álcool, mas é ruim demais, e não é só pelo fato de não ter álcool, o gosto é ruim mesmo!rs Então fica a dica: tome suco ou água...rs. Ficamos ali no hall no hotel alguns minutos pra poder usar a internet (falar com a família, postar fotos, etc), pois nos quartos não tem wi-fi. 
Pilastra no hall do hotel
 O sol ainda nem havia pensado em nascer, e eu já pulei da cama na maior empolgação, pois queria fotografar o sol nascendo atrás das lindas montanhas de Monument Valley! Levantei, fiz um café no nosso quarto, preparei meu equipamento fotográfico, coloquei uma blusa quentinha e fui pra varanda. Ainda estava escuro. O chão estava muito gelado e mesmo com meias, sentia meus pés queimar no chão. Posicionei minha câmera, meu celular e com meu café quentinho em mãos, me sentei na varanda e esperei. Então, como num passe de mágica o sol começava a se revelar e já era possível ver as montanhas. 

É muito difícil descrever com poucas palavras a sensação que tive nesse momento. É como se o corpo todo gritasse em agradecimento por estar vivendo essa experiência. É de uma emoção sem igual. Fiquei ali, registrei tudo, conforme vocês podem conferir, e então me permiti apenas curtir aquela obra divina. Quando o dia já estava claro, o Rolands apareceu na sacada e ficamos ali uns minutinhos. 



E eu nunca me cansava de olhar pra essa linda paisagem


Aproveitei e fiz um vídeo tb!!!



Hora de tomar café da manhã! Ao contrário do jantar “cilada” (rs), o café da manhã foi maravilhoso! Os garçons como sempre muito educados. Pagamos 16 dólares, com tudo que tinha no buffet a vontade, sucos, bolos, pães, frutas e você ainda podia pedir linguiça, ovos mexidos ou bacon, que eles traziam quentinho na mesa! Valeu muito a pena, visto que era o dia do nosso passeio a cavalo, e sabíamos que voltaríamos tarde. Já deixamos nossas malas prontas pra partir assim que voltássemos. O nosso passeio a cavalo foi reservado e pago ainda no Brasil. Escolhemos a empresa Black's Hiking, Jeep Tours and Trail Rides para nos acompanhar nessa aventura. Eles tem passeios privados, mas o custo é muito alto, então escolhi um passeio no qual eu seria inserida num grupo de no máximo 8 pessoas, duração de 2horas e meia, no valor de 100 dólares. Digamos que no frio, não tem muita gente disposta a cavalgar, então o passeio virou privativo (UHUUU!!!). Jedan, nosso guia, um nativo, selou os cavalos, e nos perguntou sobre nossa experiência em cavalgadas. Como a gente já “manjava” do assunto e era só a gente, fizemos um trajeto um pouco mais amplo. Quando montei o cavalo e me vi cavalgando pelas terras de John Way, algo muito estranho aconteceu comigo. Um sentimento de felicidade me invadiu por completo e a partir desse momento eu não consegui mais tirar o sorriso do rosto! Foi maravilhoso 25 vezes!!! Aproveitei a simpatia de nosso guia e perguntei pra ele sobre sua cultura, a língua, os costumes, comida, enfim terminei o passeio quase uma "navajo", com direito a galope e grito de guerra no final!

Eu, o carro congelado e Mr Bill, the Bull (lembrança de Fort Worth)




Tipo John Wayne








Esse é o melhor angulo de todos os passeios: entre as orelhas de um cavalo






 


  

Devolta ao hotel, check out realizado, aproveitei os últimos minutos pra tirar as últimas fotos, enquanto meus olhos se orvalhavam, e eu deixava aquele lindo lugar, onde vivi momentos tão intensamente felizes e gratificantes, já pensando em voltar!  





Próxima parada: Zion Nationa Park!

Se precisar de alguma dica, hotel ou até pitaco, é só deixar nos comentários!

Ah, e se precisar de hotel, faça a busca através de nossos links por hotéis em Kayenta e nos ajude a manter o blog cheio de novidades!!! Bjos a todos!!!

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Santiago - Chile

Santiago é uma cidade muito surpreendente! É uma cidade com um jeitão meio antigo, mas que valeu muito a pena conhecer.  Passamos 4 dias por lá e eu só tenho boas lembranças. Nosso hotel ficava num lugar muito estratégico, pois era bem próximo ao metrô, super tranquilo pra andar inclusive a noite e também dava pra ir andando até alguns pontos turísticos. Uma dica que eu sempre dou para os viajantes que me procuram, é que nem sempre o hotel mais barato é o melhor.... Digo isso, porque as vezes o hotel é barato, mas fica longe de tudo, e você acaba gastando mais com condução sem falar na preocupação. 
  

Esse foi o hotel escolhido por nós! Muito limpinho, quarto confortável, pessoal super educado e gentil, café da manhã simples, porém adequado. Não é o hostel mais barato, mas é o que tinha o melhor custo x benefício. A melhor localização sempre é perto do metrô, mas no caso de Santiago, ficar px a Av principal, O'Higgins é uma escolha mega certeira.

Hotel Paris Londre


Além desse que escolhemos, vou deixar aqui algumas dicas (todos px a metrô):



Onde Comer:

Tem muitos restaurantes para todos os gostos e bolsos, mas tem sempre aquele que você faz um esforço, economiza em alguma coisa e vai pra experimentar mesmo sendo um pouquinho mais caro.... E foi o caso do restaurante "Giratório"! Fica no 16° andar do prédio e é todo de vidro. Ele é lindo, com ambiente agradável, staff de primeira, comida deliciosa e a cereja do bolo: ele gira!!! Isso mesmo! A cada hora, ele dá uma volta completa. Não se preocupe, é bem devagarinho, e a cada hora que você olha pra fora, tem uma linda vista diferente. Não tem um dress code formal, mas digamos que é bem chique pra ir de havaianas... Fica perto da estação de metrô "Los Leones": Av. Nueva Providencia, 2250, P16 - Providencia, Chile. 







Outro restaurante que "seria" imperdível é o "Como água para chocolate", no bairro Bella Vista. Seria porque ele não aceita reservas e quando chegamos lá, a espera era de pelo menos 2 horas. Cheguei a entrar pra ver como era, e era muito fofo!!! Fiquei com vontade, mas 2 horas era muito pra quem já tinha andado o dia todo. Muitos amigos que foram disseram que a comida é ótima. Ficou para a próxima. Nessa região você encontrará inúmeras opções! 

Passeios


As opções de passeios são inúmeras e os dias que tínhamos eram poucos, então só nos restou fazer uma lista de prioridades para essa primeira visita, a qual eu quero compartilhar com vocês: 


Palácio La Moneda: O Palacio de La Moneda é a sede da presidência do Chile e uma das atrações que mais gostei em Santiago. O palácio ficava bem pertinho do nosso hotel, na região central e fomos a pé. O Palacio de La Moneda foi inaugurado em 1805 como a Casa da Moeda chilena, passou a ser tb sede da presidência chilena e depois deixou de abrigar a casa da moeda e foi ocupado definitivamente pela presidência. É possível fazer uma visita guiada pelo palácio. As visitas acontecem de teça a sexta em quatro horários diferentes. É necessário agendar previamente pelo email: visitas@presidencia.cl

Mas a grande atração do Palácio de La Moneda é a troca da guarda presidencial que ocorre a cada dois dias na Plaza de La Constituición (tem meses que é em dia par, outros em dias ímpares, melhor conferir antes de se programar). A cerimônia acontece as 10:00 nos dias de semana e as 11:00 nos finais de semana e feriados, dura 45 minutos e é bastante disputada pelos turistas em Santiago. Confira o calendário da Troca de Guarda: no site do Governo do Chile





Eu tinha que interagir com os horses... Quebra de protocolo total!



Cerro Santa Lucia: Fica na  Avenida Libertador Bernardo O’Higgins, próximo à estação de metrô Santa Lucía, esse foi outro ponto turístico no qual conseguimos chegar caminhando (ponto pro nosso hotel!!!). Logo na entrada, você já fica sem palavras com a fonte que tem logo na entrada.... umas construções meio antigas, mas que me fizeram dar uma viajada...rs. Depois de jogar algumas moedas e fazer alguns pedidos (obvio!), começamos a subida. Muitos degraus acima e você tem um visual de 360° da cidade. Só precisa torcer pro tempo estar limpinho!
Entrada do Cerro Santa Lucia


Fazendo pedidos




Muitos degraus

Santiago ao fundo




Vinícola Concha y Toro: Todo mundo diz que "é feito pra turista"! Ótimo, somos turistas mesmo!kkkk Pra chegar lá pegamos o metrô até a estação Las Mercedes e lá tome um táxi até a vinícola, vai te custar uns R$20,00. Tem uma infraestrutura muito boa, e tudo muito organizado. Eu achei o lugar lindo. Claro, a historinha contada é aquela que todo mundo já conhece sobre o diabo que guardava os vinhos e tal.... mas tem que visitar pelo menos uma vez! Nós fizemos o tour intermediário que além da degustação normal, ainda oferecia uma degustação de vinhos casado com alguns petiscos! No final ganhamos a taça e a tábua em que foram servidos os petiscos. Adorei a experiência!



Casa de Dom Melchior




Casillero del Diablo





Mercado Municipal: Eu sou daquelas que acredita que pra conhecer bem um lugar vc precisa visitar o mercado municipal, pois lá vc encontra o que o povo daquele lugar come. E comi um dos melhores salgados de lá... parecia uma empanada, mas tinha outro nome, do qual eu já tentei me lembrar de tudo que foi jeito. Além disso, eu tinha tb como objetivo, comer o famoso centolla, porém ele tem um preço bem salgadinho pra quem só quer mesmo experimentar. Ficou para a próxima visita. 


Vale Nevado: Ah, esse passeio foi top demais! Como estávamos num grupo de 12 pessoas nesse dia, contratamos o mesmo motorista que nos levou do aeroporto para o hotel. Fomos em uma van. Como ainda era comecinho de junho, não havia neve suficiente pra esquiar, mas ainda assim valeu muito a pena. Ele para num ponto antes de iniciar a subida, pra que a gente alugue roupas impermeáveis (acredite: não vá sem!!!). Quando começa a subida muitos ficam um pouco "mareados" com tantas curvas. São bem acentuadas e confesso que dá até um pouquinho de medo, mas o visual vale muito a pena. Qdo fui, a estação estava fechada, mas ficamos um tempo ali caminhando na neve, brincando e fazendo graça...rs. Tem um restaurante lá em cima, mas o preço é meio salgado.


Cachoeira Congelada







Valparaiso e Viña del Mar: Esse é outro passeio imperdível pra quem vai a Santiago. São pequenas cidades vizinhas e que tem muitos atrativos para um bate e volta. A princípio a gente queria fazer por conta, ainda bem que mudamos de idéia. Fomos até o Terminal Alameda que fica em frente à Estação Universidad de Santiago (Linha 1 – Vermelha), e lá fomos abordados por uma moça de uma agência, oferecendo um "pacote" que combinava onibus de ida e volta de Valparaiso e um passeio (de van) entre Valparaiso, Vina del Mar e Renaca, com paradas em vários pontos turísticos com parada para almoço (o almoço não estava incluso). Fizemos um cálculo rápido, e vimos que valeria muito a pena. E valeu mesmo, pois era tanta subida e descida, que se tivessemos ido a pé, por conta, seria desastroso! Tem economia que não compensa! E essa foi a primeira vez que coloquei os pés no Pacífico!





Leões Marinhos




Pablo Neruda

La Sebastiana: Uma das casas de Neruda

Esse banquinho era uma graça!


Funiculares

Relógio de Flores


El Pacífico



Cassino

Palácio Vergara




E foi assim que passamos 4 adoráveis dias em Santiago!!! Se eu quero voltar??? LÓGICO!!!! 

Precisa de hotel??? Dá uma busca aquiHotéis em Santiago, Hotéis em Viña del MAr 
e Hotéis em Valparaíso (fazendo a reserva através de nossos links, você nos ajuda a manter o blog atualizado e cheios de novidades!)

Quer alguma ajuda no planejamento de sua viagem??? Deixe seu comentário! 

Bjos!!!